O cantor e compositor norte americano sempre foi aberto sobre sua sexualidade e já revelou que seu primeiro amor foi um homem. 

Leia também: Mc Guimê pede Lexa em casamento!

Interprete da canção “Thinking About You”, o cantor ficou extremamente comovido com o atentado na boate “Pulse”, em Orlando, que deixou 49 mortos e 50 feridos, e escreveu um texto emocionante sobre o fato e sobre a comunidade como um todo que foi publicado no Tumblr. Leia o que o cantor disse e a tradução abaixo:

I read in the paper that my brothers are being thrown from rooftops blindfolded with their hands tied behind their backs for violating sharia law. I heard the crowds stone these fallen men if they move after they hit the ground. I heard it’s in the name of God. I heard my pastor speak for God too, quoting scripture from his book. Words like abomination popped off my skin like hot grease as he went on to describe a lake of fire that God wanted me in. I heard on the news that the aftermath of a hate crime left piles of bodies on a dance floor this month. I heard the gunman feigned dead among all the people he killed. I heard the news say he was one of us. I was six years old when I heard my dad call our transgender waitress a faggot as he dragged me out a neighborhood diner saying we wouldn’t be served because she was dirty. That was the last afternoon I saw my father and the first time I heard that word, I think, although it wouldn’t shock me if it wasn’t. Many hate us and wish we didn’t exist. Many are annoyed by our wanting to be married like everyone else or use the correct restroom like everyone else. Many don’t see anything wrong with passing down the same old values that send thousands of kids into suicidal depression each year. So we say pride and we express love for who and what we are. Because who else will in earnest? I daydream on the idea that maybe all this barbarism and all these transgressions against ourselves is an equal and opposite reaction to something better happening in this world, some great swelling wave of openness and wakefulness out here. Reality by comparison looks grey, as in neither black nor white but also bleak. We are all God’s children, I heard. I left my siblings out of it and spoke with my maker directly and I think he sounds a lot like myself. If I being myself were more awesome at being detached from my own story in a way I being myself never could be. I wanna know what others hear, I’m scared to know but I wanna know what everyone hears when they talk to God. Do the insane hear the voice distorted? Do the indoctrinated hear another voice entirely?

 

Tradução: Eu leio nos jornais que meus irmão estão sendo jogados de telhados vendados, com suas mãos amarradas nas costas, por terem violado a lei (islâmica) sharia. Eu ouço que uma multidão joga pedras nesses homens jogados caso eles ainda se movam após atingir o solo. Eu ouço que isso é em nome de Deus. Eu ouço meu pastor falar sobre Deus também, citando as escrituras de seu livro. Palavras como abominação surgem na minha pele queimando como uma graxa quente enquanto ele descreve o lago de fogo em que Deus quer que eu esteja. Eu ouço as notícias de que o resultado de um crime de ódio deixou uma pilha de corpos este mês. Eu escuto que o atirador foi morto sobre as pessoas que ele matou. Eu ouço notícias de que ele era um de nós. Eu tinha seis anos quando eu ouvi meu pai chamar nossa garçonete transexual de “viadinho” enquanto ele me arrancava da lanchonete do bairro, dizendo que ele não iria comer ali porque ela ser imunda. Esta foi a última tarde em que vi meu pai e a primeira vez que eu ouvi essa palavra, eu acho, apesar de que isso não iria me chocar de não tivesse sido. Muitos nos odeiam e desejam que a gente não existisse. Muitos se incomodam com nossa vontade de casar como qualquer pessoa ou usar o banheiro certo como qualquer pessoa. Muitos não vêem nada errado em passar adiante os mesmos valores antigos que levam centenas de crianças a uma depressão suicida a cada ano. Então nós falamos de orgulho e expressamos nosso amor por quem e o que nós somos. Porque quem mais fará isso? Eu sonho acordado com a ideia de que talvez toda essa barbárie e essa transgressão contra nós seja uma reação igual e oposta a algo melhor acontecendo neste mundo, alguma grande onda de abertura e vigília por aqui. A realidade, por comparação, parece cinza, como se não fosse nem preta, nem branca, mas também sem vida. Todos nós somos filhos de Deus, eu ouvi dizer. Eu deixei meus irmãos de lado e falei com meu criador diretamente e eu acho que ele soa muito como eu mesmo. (…) Eu quero saber o que as outras pessoas escutem, eu tenho medo mas eu quero saber o que as pessoas ouvem quando falam com Deus. Os loucos escutam a voz distorcida? Os doutrinados escutam uma voz completamente diferente?

 

Fique ligado no nosso canal do youtube!

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA